Tags: Gestão Comercial

Hoje quero falar com você sobre uma das principais causas de alta ou baixa performance, de ter uma vida tranquila ou sofrer de ansiedade e estresse, de dormir tranquilo ou acordar moído de cansado, de estar acima do peso ou pesando quanto você deseja, de aproveitar a vida ou não.

O que é essa “mágica”, que tem todo esse poder? Fácil: administração do tempo!

É sobre isso que quero falar com você hoje, aproveitando que estamos lançando a versão 2018 da Agenda VM.

Aqui vão algumas dicas, com comentários, sobre como administrar melhor seu tempo.

10 dicas para administrar melhor o seu tempo, por Raul Candeloro

1) Administrar o tempo é um mito! 

Tempo não se administra. Um segundo vai sempre levar um segundo para passar, um minuto vai levar um minuto para passar, uma hora vai levar uma hora para passar.

Sabendo e entendendo isso, você passa a saber e entender também que precisa controlar seu FOCO, suas PRIORIDADES e onde coloca sua ENERGIA.

Um grande erro que as pessoas cometem é imaginar que conseguem controlar o tempo. Não se controla o tempo – controlam-se as ATIVIDADES nas quais você investe seu tempo.

2) Comece a anotar como e em quê investe seu tempo.

Assim como quem quer emagrecer deve começar a anotar tudo o que come, e quem quer economizar dinheiro precisa anotar tudo o que gasta, quem quer administrar melhor seu tempo precisa anotar tudo o que faz. É a única forma de analisar seriamente onde estão seus grandes desperdiçadores de tempo (e eliminá-los).

“UM GRANDE ERRO QUE AS PESSOAS COMETEM É IMAGINAR QUE CONSEGUEM CONTROLAR O TEMPO. NÃO SE CONTROLA O TEMPO – CONTROLAM-SE AS ATIVIDADES NAS QUAIS VOCÊ INVESTE SEU TEMPO.”

3) Administrar o tempo é gestão de mudanças. 

Achar que vai conseguir economizar tempo sem antes mudar sua atitude é outro grande mito. A maior parte das pessoas que não administram bem o tempo está “viciada” em alguns comportamentos ou em algumas atividades ineficientes. É preciso muita determinação e muito foco para superar esses vícios e essa dependência (exemplo típico de vício: fazer sempre o que parece urgente antes de fazer o que é importante).

4) Foco.

Faça uma lista no final do dia de todas as coisas realmente importantes que tem para fazer no outro dia.

Na manhã seguinte, faça pelo menos a primeira coisa ANTES DE TUDO. Não abra nem seus e-mails (nem Facebook!). Durante o dia, releia a lista e veja o que de mais importante consegue fazer. Ao fim do dia, refaça a lista.

Lembre-se de que essa lista é de coisas IMPORTANTES. Logo, deve ser respeitada. DISCIPLINA!

5) Aprenda a dizer “não”.

Já escrevi um editorial na VendaMais sobre isso, tendo como base uma palestra do Jim Collins a que assisti. Se você tem uma lista de coisas a fazer, crie também uma de coisas que precisa PARAR de fazer. O exercício do item 2 pode ajudá-lo nesse sentido.

6) Cuidado com e-mails e WhatsApp.

Só para reforçar – sua caixa de e-mails e mensagens, invariavelmente, é uma lista de prioridades e coisas urgentes de OUTRAS PESSOAS. Não suas. Pense nisso sempre que for começar a responder e-mails e mensagens.

7) Cuidado com mídias sociais.

Quer desperdício maior de tempo do que ver quantas pessoas deram um “curtir” na sua última postagem do Facebook? Separe 10 ou 15 minutos por dia para cuidar disso (é suficiente, acredite – é o que eu faço, mesmo com todos os seguidores que tenho) e lembre-se de que ficar entrando e saindo é VÍCIO (definição excelente de vício: comportamento que dá prazer no curto prazo e destrói no longo prazo).

8) Use uma agenda.

O simples fato de você ter um lugar no qual anotar o que precisa ser feito já é uma excelente forma de começar a se organizar e administrar melhor suas prioridades.

Se não usar uma agenda, pelo menos anote suas principais prioridades para o dia (eu uso uma simples folha de papel quando estou em casa e um aplicativo simples para anotações no meu tablet quanto estou viajando).

9) Sempre que puder, delegue.

Existem tarefas nas quais você é realmente bom e agrega valor. Em outras, claramente está desperdiçando tempos com atividades operacionais/burocráticas que não agregam NADA.

Algumas não têm jeito – você terá de fazê-las e pronto. Para essas, crie rotinas que aumentem sua produtividade. Para as outras, delegue sem dó.

Muita gente quer centralizar tudo e acaba se afundando na mediocridade por insegurança de delegar. Não seja uma dessas pessoas. Fique com o que é realmente importante e delegue o restante.

10) Reuniões.

Tenha sempre uma pauta para toda reunião, comece no horário marcado e tenha horário para terminar.

Tempo não se administra… o que se administra é seu foco, suas prioridades e sua energia!

A dica mais importante de todas: comece a questionar se uma reunião é realmente necessária (ou se aquele assunto poderia ser resolvido de outra maneira).

Ao seguir essas quatro simples regras (pauta, horário para começar, horário para terminar, prioridade da reunião), você controlará um dos grandes gargalos que temos atualmente em termos de administração de tempo dentro das empresas.

Essas são minhas dicas de administração do tempo, foco, prioridades e energia para esta semana.

Espero ter ajudado. Se tiver alguma outra dica de administração de tempo que funciona para você e que gostaria de compartilhar conosco, poste-a aqui embaixo nos comentários.

Abraço e boas vendas,

Raul Candeloro
Diretor
www.vendamais.com.br

Gostou?

Um dos momentos mais ‘pepinosos’ que existe na vida de uma equipe comercial é quando precisamos mexer na tabela de preços e comunicar esse reajuste aos clientes. No caso, reajuste para cima, que fique claro – aumentando os preços. Comunicar diminuição de preços é mais fácil – é só fazer uma promoção e dar descontos!

Seja por questão de aumento de custos, por refazer margem, por posicionar diferente, é uma realidade e faz parte do dia a dia de qualquer vendedor.

Como fazer isso da maneira mais eficiente, correta e que não prejudique os negócios, não irrite os clientes (pelo contrário) e fortaleça o relacionamento?

Essa foi uma pergunta que um dos alunos de meus cursos online me fez na semana passada (e é justamente uma das grandes vantagens de fazer cursos comigo – acesso direto ao Raul ???? ) .

Organizei a resposta em ‘passos’, para facilitar (gosto dessa maneira mais organizada e estruturada de passar sugestões e recomendações pois acho que ajuda as pessoas a colocarem em prática, e não só a lerem).

Coloquei na lista 5 coisas que o aluno poderia fazer para comunicar aos clientes um reajuste na tabela de preços.

E você, o que acha disso? Que experiências você poderia compartilhar com a gente em relação a melhores práticas e recomendações para repassar reajustes de tabela e aumentos de preço da forma mais eficiente para seus clientes?

5 dicas sobre como comunicar para seus clientes

um reajuste na tabela e aumento de preços

 

1) A primeira coisa que eu faria seria dar um ‘heads up’, um aviso prévio.

– Aumento vai acontecer daqui a 3 ou 6 meses… não agora.

 

2) Segunda coisa é sempre olhar para algum tipo de custo que possa ser usado como referência e justificativa 

– Insumos aumentaram em ‘X’% e precisamos reajustar nossa tabela para equalizar isso.

 

3) Terceira coisa é olhar benefícios dados para o cliente e reforçar isso claramente.

– Queremos continuar oferecendo X, Y, Z (Benefícios e não características, ok?), queremos continuar trabalhando junto com vocês para ajudar vocês a ABC, mas para isso realmente precisamos reajustar a tabela.

 

4) Quarta coisa é oferecer opções. Por exemplo, ‘assinaturas’ e contratos de maior duração. Ou aumentar o valor médio do pedido.

– Se ao invés de renovarem por 6 meses vocês renovarem por 12, consigo manter a tabela atual para vocês (ou diminuir o % de aumento).

– Se ao invés de comprarem R$ XXX por mês comprarem R$ YYY, consigo manter a tabela atual para vocês (ou diminuir o % de aumento).

 

5) Quinta coisa seria fazer um aumento maior mas oferecer um desconto. É minha última opção e só usaria com clientes que realmente precisam sentir que estão barganhando e levando alguma vantagem.

– A tabela vai ser reajustada em 15%. Como vocês têm um volume razoável de compra conosco, são clientes de longa data, consigo negociar internamente isso para que fique entre 11 e 12%

 

Ok? São minhas sugestões sobre como comunicar para seus clientes um reajuste na tabela e aumento de preços .

E você, o que acha disso? Que experiências você poderia compartilhar com a gente em relação a melhores práticas e recomendações para repassar reajustes de tabela e aumentos de preço da forma mais eficiente para seus clientes?

Poste seus comentários abaixo e compartilhe com quem achar que pode ser beneficiar do artigo!

Abraço e boas vendas,

Raul Candeloro
P.S. Gostou do artigo? É justamente este tipo de informação que vemos no meu curso APV. Estão abertas as inscrições para a turma do segundo semestre de 2017 do curso Alta Performance em Vendas. Mais informações aqui: http://www.institutovendamais.com.br/curso/apv-alta-performance-em-vendas/ .
P.S. 2: Se você é gestor de uma equipe comercial e quer treinar sua equipe de vendas, mande-me um e-mail que eu encaminho para um de nossos consultores especializados que vai tirar suas dúvidas e ajudar você a montar seu plano de treinamento para este segundo semestre (meu e-mail é raul@vendamais.com.br)

Gostou?

JUNTE-SE AOS MAIS DE 55 MIL ASSINANTES.

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest