Categoria: Destaque

Hoje quero falar com você sobre uma das principais causas de alta ou baixa performance, de ter uma vida tranquila ou sofrer de ansiedade e estresse, de dormir tranquilo ou acordar moído de cansado, de estar acima do peso ou pesando quanto você deseja, de aproveitar a vida ou não.

O que é essa “mágica”, que tem todo esse poder? Fácil: administração do tempo!

É sobre isso que quero falar com você hoje, aproveitando que estamos lançando a versão 2018 da Agenda VM.

Aqui vão algumas dicas, com comentários, sobre como administrar melhor seu tempo.

10 dicas para administrar melhor o seu tempo, por Raul Candeloro

1) Administrar o tempo é um mito! 

Tempo não se administra. Um segundo vai sempre levar um segundo para passar, um minuto vai levar um minuto para passar, uma hora vai levar uma hora para passar.

Sabendo e entendendo isso, você passa a saber e entender também que precisa controlar seu FOCO, suas PRIORIDADES e onde coloca sua ENERGIA.

Um grande erro que as pessoas cometem é imaginar que conseguem controlar o tempo. Não se controla o tempo – controlam-se as ATIVIDADES nas quais você investe seu tempo.

2) Comece a anotar como e em quê investe seu tempo.

Assim como quem quer emagrecer deve começar a anotar tudo o que come, e quem quer economizar dinheiro precisa anotar tudo o que gasta, quem quer administrar melhor seu tempo precisa anotar tudo o que faz. É a única forma de analisar seriamente onde estão seus grandes desperdiçadores de tempo (e eliminá-los).

“UM GRANDE ERRO QUE AS PESSOAS COMETEM É IMAGINAR QUE CONSEGUEM CONTROLAR O TEMPO. NÃO SE CONTROLA O TEMPO – CONTROLAM-SE AS ATIVIDADES NAS QUAIS VOCÊ INVESTE SEU TEMPO.”

3) Administrar o tempo é gestão de mudanças. 

Achar que vai conseguir economizar tempo sem antes mudar sua atitude é outro grande mito. A maior parte das pessoas que não administram bem o tempo está “viciada” em alguns comportamentos ou em algumas atividades ineficientes. É preciso muita determinação e muito foco para superar esses vícios e essa dependência (exemplo típico de vício: fazer sempre o que parece urgente antes de fazer o que é importante).

4) Foco.

Faça uma lista no final do dia de todas as coisas realmente importantes que tem para fazer no outro dia.

Na manhã seguinte, faça pelo menos a primeira coisa ANTES DE TUDO. Não abra nem seus e-mails (nem Facebook!). Durante o dia, releia a lista e veja o que de mais importante consegue fazer. Ao fim do dia, refaça a lista.

Lembre-se de que essa lista é de coisas IMPORTANTES. Logo, deve ser respeitada. DISCIPLINA!

5) Aprenda a dizer “não”.

Já escrevi um editorial na VendaMais sobre isso, tendo como base uma palestra do Jim Collins a que assisti. Se você tem uma lista de coisas a fazer, crie também uma de coisas que precisa PARAR de fazer. O exercício do item 2 pode ajudá-lo nesse sentido.

6) Cuidado com e-mails e WhatsApp.

Só para reforçar – sua caixa de e-mails e mensagens, invariavelmente, é uma lista de prioridades e coisas urgentes de OUTRAS PESSOAS. Não suas. Pense nisso sempre que for começar a responder e-mails e mensagens.

7) Cuidado com mídias sociais.

Quer desperdício maior de tempo do que ver quantas pessoas deram um “curtir” na sua última postagem do Facebook? Separe 10 ou 15 minutos por dia para cuidar disso (é suficiente, acredite – é o que eu faço, mesmo com todos os seguidores que tenho) e lembre-se de que ficar entrando e saindo é VÍCIO (definição excelente de vício: comportamento que dá prazer no curto prazo e destrói no longo prazo).

8) Use uma agenda.

O simples fato de você ter um lugar no qual anotar o que precisa ser feito já é uma excelente forma de começar a se organizar e administrar melhor suas prioridades.

Se não usar uma agenda, pelo menos anote suas principais prioridades para o dia (eu uso uma simples folha de papel quando estou em casa e um aplicativo simples para anotações no meu tablet quanto estou viajando).

9) Sempre que puder, delegue.

Existem tarefas nas quais você é realmente bom e agrega valor. Em outras, claramente está desperdiçando tempos com atividades operacionais/burocráticas que não agregam NADA.

Algumas não têm jeito – você terá de fazê-las e pronto. Para essas, crie rotinas que aumentem sua produtividade. Para as outras, delegue sem dó.

Muita gente quer centralizar tudo e acaba se afundando na mediocridade por insegurança de delegar. Não seja uma dessas pessoas. Fique com o que é realmente importante e delegue o restante.

10) Reuniões.

Tenha sempre uma pauta para toda reunião, comece no horário marcado e tenha horário para terminar.

Tempo não se administra… o que se administra é seu foco, suas prioridades e sua energia!

A dica mais importante de todas: comece a questionar se uma reunião é realmente necessária (ou se aquele assunto poderia ser resolvido de outra maneira).

Ao seguir essas quatro simples regras (pauta, horário para começar, horário para terminar, prioridade da reunião), você controlará um dos grandes gargalos que temos atualmente em termos de administração de tempo dentro das empresas.

Essas são minhas dicas de administração do tempo, foco, prioridades e energia para esta semana.

Espero ter ajudado. Se tiver alguma outra dica de administração de tempo que funciona para você e que gostaria de compartilhar conosco, poste-a aqui embaixo nos comentários.

Abraço e boas vendas,

Raul Candeloro
Diretor
www.vendamais.com.br

Gostou?

O outro dia estava tendo uma conversa com Ana Artigas, coach e palestrante, sobre qual o passo mais importante da venda.
Pergunta interessante essa… e complicada de responder.

Como eu defendo que todos os Passos da Venda estão diretamente interligados, não dá para separar um deles e dizer “este aqui é o mais importante”.

É mais ou menos como você definir qual dos seus órgãos internos é o mais importante. É o cérebro? É o coração? Estômago? Intestinos? Pulmões?

A maioria das discussões em torno deste assunto surge, pois muita gente confunde urgência com importância.

O fato de algo ser mais urgente faz com que fique mais importante a curto prazo, mas a longo prazo (que é onde acabamos invariavelmente se tivermos sucesso) você precisa ter uma Roda das Vendas equilibrada, com todos os 8 passos sendo bem feitos:

• Planejamento e preparação
• Prospecção de novos clientes
• Abordagem (entrar em sintonia/estabelecer rapport)
• Levantamento de Necessidades (descobrir a melhor forma de solucionar o problema e/ou ajudar o cliente)
• Proposta de Valor (apresentar as opções/soluções recomendadas para o cliente – note que eu falei opções/soluções e não produtos/serviços)
• Negociação (preço, prazo, descontos, etc.)
• Fechamento (compra ou não compra?)
• Pós-venda (“Foi bom para você? :))

Assim como se um dos órgãos falhar, com certeza todos os outros vão falhar junto (com maior ou menor rapidez), em Vendas vai acontecer a mesma coisa com os Passos da Venda.

Se um dos Passos estiver sendo negligenciado, com certeza todos os outros (e seus resultados finais) sofrerão as consequências.

É o que vemos com frequência os alunos do APV comentarem ao final do curso: “finalmente descobri por que estava tendo problemas com o Passo ‘b’…. é porque estava ‘a’ (um dos Passos anteriores) errado!”.

É algo fundamental entender para melhorar seus resultados em Vendas: se você está com dificuldades em um dos Passos, precisa analisar com atenção os Passos anteriores, pois é ali que está a CAUSA da baixa performance.

O que muitas vezes é definido como ‘problema’ é só uma consequência – o resultado que surge por causa de um dos Passos anteriores malfeitos.

Exemplo para facilitar o entendimento: é muito comum quererem nos contratar para treinar a equipe em Negociação. Invariavelmente, o que descobrimos é que a equipe de vendas está fazendo uma Abordagem errada, Levantamento de Necessidades fraquíssimo (quando existe), por consequência a Proposta de Valor é fraca, e aí o problema aparece na Negociação.

Mas o ‘problema’ de verdade não é na Negociação… é só uma consequência de ter feito os outros Passos/etapas de maneira incorreta.

Por isso a resposta certa para a pergunta “Qual o passo mais importante da Venda?” é um ‘depende’. Precisamos antes entender o que está acontecendo, quais os sintomas, para aí sim podermos dizer “no seu caso, é X (ou Y)”.

Esse é um problema crônico em Vendas: não entender e não analisar a venda passo a passo, procurando sempre formas de melhorar resultados e atender melhor os clientes.

Quem faz isso trabalha realmente de maneira muito mais profissional. O resto é um bando de amadores dizendo que é vendedor mas, na verdade compensando com muito suor e sofrimento a falta de competência.

É duro, mas é verdade.

Felizmente, é fácil de mudar:
a. primeiro muda a atitude (procurando a melhoria),
b. depois melhora os conhecimentos (procurando entender como, onde e por que melhorar),
c. depois desenvolve uma habilidade e coloca em prática,
d. para terminar, cria uma rotina de sempre analisar seus resultados, procurando melhorá-los consistentemente. Aquela história que sempre defendo, da filosofia Kaizen: “hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”. Um passinho por vez.
Abraço e boas vendas, com competência e profissionalismo,
Raúl Candeloro

Gostou?

Pessoas de baixa performance tem uma visão errada de que as pessoas de sucesso só tiveram alegrias e sucesso na vida, de que tudo deu sempre certo.

Essa visão está errada porque isso é justamente o contrário do que acontece na realidade.

Conviver com o fracasso faz parte do processo de alta performance. Não existe alta performance sem fracassos ocasionais. Alguns deles imensos.

Sempre que você estudar a vida de pessoas que fizeram algo de importante no mundo, vai encontrar uma história repleta de coisas que não deram certo.

A questão é COMO LIDAR com o fracasso quando ele acontece.

O fracasso desestimula as pessoas de baixa performance.
O fracasso ESTIMULA as pessoas de ALTA performance.
O fracasso faz as pessoas de baixa performance pensarem: “Eu sou ruim”.
O fracasso faz as pessoas de ALTA performance pensarem: “Preciso MELHORAR”.
O fracasso faz as pessoas de baixa performance pensarem: “Não adianta, isso não funciona”.
O fracasso faz as pessoas de ALTA performance pensarem: “Se isto não está funcionando, o que MAIS posso fazer? O que posso fazer de DIFERENTE?”.

Em resumo:

O fracasso faz as pessoas de baixa performance desistirem.
O fracasso faz as pessoas de ALTA performance MELHORAREM.

Lembre-se: pessoas de sucesso também tem contratempos, projetos que não dão certo, planos e sonhos que não acontecem.

Fracassos todos teremos. Só não erra quem não faz. E não fazer é o maior erro.

A questão é COMO LIDAR com o fracasso quando ele acontece.

Como disse muito bem Henry Ford: “O fracasso é uma oportunidade fantástica de você começar de novo, mas de maneira muito melhor”.

Se você aprender algo e melhorar algo, então não foi fracasso… foi só uma lição.

Abraços de alta performance,
Raúl Candeloro

Gostou?

JUNTE-SE AOS MAIS DE 55 MIL ASSINANTES.

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest